• HOME
  • SITEMAP
  • MAI
  • DGAI
Trabalhar no Estrangeiro - Informe-se antes de partir!                                                                                                                         Portal Anti-tráfico da CE                                                                                                                         Cartão de Sinalização                                                                                                                          Portal de Imigração da UE                                                                                                                        

Cartão de Visita SOS TSH das delegações Norte, Centro e Alentejo da APF
Portal Anti-Tráfico da Comissão Europeia
Portal de Segurança
EU Immigration Portal

Documentário sobre Tráfico Humano, REDLIGHT, estreia em Nova Iorque

REDLIGHT, um novo documentário poderoso que expõe a questão global do tráfico de seres humanos, teve a sua estreia mundial no dia 21 de Junho de 2010 em Nova Iorque, num evento apresentado pela Priority Films e a LexisNexis.

Pesquisa da LexisNexis revela: A maioria dos americanos Desconhece a natureza ou extensão de um dos crimes em mais rápido crescimento no mundo.

Narrado pela Embaixadora para a Boa Vontade Lucy Liu, REDLIGHT conta as histórias da vida real de crianças vítimas de tráfico humano e de duas mulheres notáveis, que lutam para as salvar. Produzido pelo cineasta e fundador da ONG RedLight Children Guy Jacobson, durante um período de quatro anos, o filme usa imagens contrabandeados para fora de bordéis do Camboja e depoimentos dos jovens vítimas e seus familiares.

Tráfico de seres humanos, o comércio ilegal de seres humanos para fins de exploração sexual, comercial ou trabalho forçado, é uma das indústrias criminosas que mais cresce no mundo de hoje. É um fenómeno que está agora a par da indústria de armas ilegais, como o segundo crime internacional que mais lucro tem, após o comércio ilegal de drogas. Segundo o TIP Report relativo ao Tráfico de Pessoas do Departamento de Estado Americano  divulgado na semana passada, cerca de 1 em cada 555 pessoas no mundo é vítima de tráfico humano.


Inquérito mostra o fraco conhecimento entre a opinião pública americana

Apesar da grande e crescente prevalência do problema, uma nova pesquisa encomendada pela LexisNexis em colaboração com a Polaris Project revela que a maioria dos americanos não está ciente da natureza ou dimensão do tráfico de seres humanos. Na verdade, quando solicitados a identificar a melhor definição deste fenómeno, quase metade dos americanos não poderiam fazê-lo (48%). A maioria dos entrevistados - cerca de nove em cada dez (88%) - não tinham consciência de que mais de 10 milhões de pessoas vivem em escravidão sexual ou alguma forma de trabalho forçado no mundo de hoje, enquanto apenas um em cada cinco (22%) sabia que o tráfico humano gera US $ 30 bilhões/2500M€ ou mais de lucro anuais.

"O tráfico humano não é algo que só acontece com algumas pessoas em países distantes, é um fenómeno que está a acontecer aqui, na América, em Nova York, no nosso quintal", disse Robert Rigby Hall, chefe de Recursos Humanos da LexisNexis e Membro do Conselho da RedLight Children. "Este evento é um holofote sobre este crime hediondo para que as pessoas percebam a amplitude do problema do tráfico de seres humanos. Nós encorajamos as pessoas e empresas a ver o documentário REDLIGHT, e a juntar-se a nós na luta contra esta forma de escravatura moderna ".

REDLIGHT dá aos jovens vítimas de tráfico uma voz para contar as suas histórias pessoais e os perfis dos incansáveis esforços de duas mulheres activistas para as resgatar e proteger: Somaly Mam, uma ex-vítima de tráfico que dedicou sua vida para salvar as vítimas e sobreviventes de habilitação e Mu Sochua, Membro do Parlamento e ex-Ministra dos Assuntos das Mulheres no Camboja. Ambas as mulheres foram nomeados para o Prémio Nobel da Paz pelos seus esforços extraordinários na luta pelos direitos das crianças que foram traficadas para prostituição.

O documentário REDLIGHT fez a sua estreia no teatro de SVA em Nova York e incluiu uma sessão de Perguntas e Respostas com Mu Sochua, os cineastas Guy Jacobson e Adi Ezroni, e Dr. Susan Bissell, Responsável da UNICEF de Proteção à Criança.

Entre os membros da comissão de acolhimento na estreia estiveram: a congressista Carolyn Maloney (D); Andy Prozes, Chief Executive Officer, LexisNexis Group; Mark Lagon, ex-E.U. Ambassador-at-Large de Combate ao Tráfico de Pessoas e Conselheiro Sênior LexisNexis, Cecilia Attias , Presidente e Fundador, a Cecilia Attias Fundação para as Mulheres; Lauren Bush, modelo de moda, designer e humanitárias, Julia Ormond, atriz e ex-embaixador da Boa Vontade das Nações Unidas sobre o Tráfico de Pessoas e Embaixador Swanee Hunt, presidente da Hunt Alternatives Fund e ex-E.U. Embaixador da Áustria, e os atores Marcia Gay Harden, Ron Livingston e Ashley Judd.

"REDLIGHT mostra a dimensão humana: os traficantes gananciosos tentando roubar seres humanos de sua dignidade, e duas mulheres exemplares que fazem uma enorme diferença na re-capacitação dessas vítimas", disse Mark Lagon, ex-responsável pela coordenação dos esforços mundiais e nacionais para combater o tráfico do governo norte-americano. "O tráfico humano relaciona-se em tudo com o Estado de Direito. O TIP Report apresentado pelo Departamento de Estado apresenta a relação da pobreza, da ausência de liberdades civis e da corrupção para esta escravidão do nosso tempo ".

Tráfico de Seres Humanos e do Estado de Direito

LexisNexis está empenhada em ajudar a combater o tráfico de seres humanos como parte dos seus esforços para promover o Estado de Direito - o conceito básico de que o funcionamento da sociedade exige um forte sistema legal e um conjunto de leis respeitado por todos, inclusivé o governo. Juntamente com parceiros públicos e privados, LexisNexis suporta vários esforços anti-tráfico humano através da promoção, patrocínio e apoio às vítimas do apoio à formação e educação.

"Neste mundo moderno, milhões continuam a ser presos em escravidão, que é um sinal horroroso de que o Estado de Direito está ausente", disse Andy Prozes, CEO da LexisNexis. "Estamos a trabalhar para estabelecer o Estado de Direito em locais onde os seres humanos são vistos como utensílios. Nas nossas relações com os indivíduos, empresas, governos e ONGs com quem trabalhamos e que utilizam os nossos conhecimentos e recursos para fazer a diferença e empregar os princípios do Estado de Direito para erradicar o tráfico humano. "


Sobre a Pesquisa LexisNexis Resultados:
O levantamento foi realizado por Taylor Nelson Sofres (TNS) Global entre uma amostra nacionalmente representativa de 2.500 norte-americanos de 18 anos +. O estudo foi conduzido em linha em maio de 2010 e tem uma margem de erro de 1,96 pontos percentuais no nível de confiança de 95%. Para mais informações, faça o download do sumário executivo.


Para mais informações sobre REDLIGHT e LexisNexis esforços para combater o tráfico humano, visite:
redlight
www.lexisnexis.com / index.html

 

voltar

Optimizado para Internet Explorer 8.0+ e Mozilla Firefox 2.0+
Concepção e desenvolvimento: Plug & Play
Level A conformance icon, W3C-WAI Web Content Accessibility Guidelines 1.0Acessibilidade[D] 2009 © MAI/OTSH - Todos os direitos reservados